sábado, 31 de outubro de 2015

Tempestades

Brooke Shaden

São de nada
 tempestades
 ante a falta
 que me fazes.

Autor :  David Mourão-Ferreira

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

A noite caía

Leslie Ann O´Dell

A noite caía
Eu podia ouvir o chamado.
Nada mais do que areia ,
o vento varrerá
os traços de que eu estava aqui
A história de uma lágrima
a minha história
Isso é tudo...
o vento levará
o som do meu coração!

Autor : joanna.franko

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

...

Aprendamos, amor, com estes montes
Que, tão longe do mar, sabem o jeito
De banhar no azul dos horizontes.

Façamos o que é certo e de direito:
Dos desejos ocultos outras fontes
E desçamos ao mar do nosso leito.


Autor : José  Saramago
in Os Poemas Possíveis (Portugália Ed., 1966)

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

O Homem e a Mulher


Rosie Hardy

O homem é a mais elevada das criaturas.
A mulher, o mais sublime dos ideais.
Deus fez para o homem um trono; para a mulher fez um altar.
O trono exalta e o altar santifica.
O homem é o cérebro; a mulher, o coração. O cérebro produz a luz; o coração produz amor. A luz fecunda; o amor ressuscita.
O homem é o génio; a mulher é o anjo. O génio é imensurável; o anjo é indefenível;
A aspiração do homem é a suprema glória; a aspiração da mulher é a virtude extrema; A glória promove a grandeza e a virtude, a divindade.
O homem tem a supremacia; a mulher, a preferência. A supremacia significa a força; a preferência representa o direito.
O homem é forte pela razão; a mulher, invencível pelas lágrimas.
A razão convence e as lágrimas comovem.
O homem é capaz de todos os heroísmos; a mulher, de todos os martírios. O heroísmo enobrece e o martírio purifica.
O homem pensa e a mulher sonha. Pensar é ter uma larva no cérebro; sonhar é ter na fronte uma auréola.
O homem é a águia que voa; a mulher, o rouxinol que canta. Voar é dominar o espaço e cantar é conquistar a alma.
Enfim, o homem está colocado onde termina a terra; a mulher, onde começa o céu.

Autor : Victor Hugo

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Feminina

Mira Nedyalkova


Não lavei os seios
 pois tinham o calor
 da tua mão.
 Não lavei as mãos
 pois tinham os sons
 do teu corpo.
 Não lavei o corpo
 pois tinha os rastros
 dos teus gestos;
 tinha também, o meu corpo
 a sagrada profanação
 do teu olhar
 que não lavei.
 Nem aqueles lençóis,
 não os lavei,
 nem os espelhos
 que continuam
 onde sempre estiveram:
 porque eles nos viram
 cúmplices, e a paixão,
 no paraíso,
 parece que era.
 Lavei, sim,
 lavei e perfumei
 a alma, em jasmim,
 que é tua, só tua,
 para te esperar
 como se nunca tivesses ido
 a nenhum lugar:
 donde apaguei
 todas as ausências
 que apaguei
 ao teu olhar.


Autor : Soares Feitosa

domingo, 25 de outubro de 2015

...

Natália Drepina

hoje assinei o meu nome
limpo
sem apêndices do teu
o meu nome
apenas...
.
BeatriceMar

sábado, 24 de outubro de 2015

Sem outro intuito


Sem outro intuito
Atirávamos pedras
à água para o silêncio vir à tona.
O mundo, que os sentidos tonificam,
surgia-nos então todo enterrado
na nossa própria carne, envolto
por vezes em ferozes transparências
que as pedras acirravam
sem outro intuito além do de extraírem
às águas o silêncio que as unia.

Autor : Luís Miguel Nava
in Vulcão I

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Alma Gémea

rebecca finch

Dos anéis, restam os dedos
do sofrer, as cicatrizes
das paixões, apenas cinza
da obra, os aprendizes.
Das palavras, velhos livros
das alegrias, lembranças
dos quadros, restam paredes
dos afagos, duas tranças.
De ti, a fotografia
de nós, simplesmente nada
de mim, uma estátua fria
da vida, a triste balada.
E no espelho, há uma imagem
a única, que em nós confia
a única, que nos nomeia
a única, que desafia.
.
.

Autor : Helena Figueiredo,2014

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

O céu

Oleg Oprisco


O céu
Assoam-se-me à alma,quem
como eu traz desfraldado o coração sabe o que querem
dizer estas palavras.
A pele serve de céu ao coração.

Autor :Luís Miguel Nava

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

De sonhar

Miho Hirano

De sonhar ninguém se cansa, porque sonhar é esquecer, e esquecer não pesa e é um sono sem sonhos em que estamos despertos.

Autor Fernando Pessoa
Livro do Desassossego

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Pernoitas em mim

Frederico Erra

pernoitas em mim
e se por acaso te toco a memória... amas
ou finges morrer

pressinto o aroma luminoso dos fogos
escuto o rumor da terra molhada
a fala queimada das estrelas

é noite ainda
o corpo ausente instala-se vagarosamente
envelheço com a nómada solidão das aves

já não possuo a brancura oculta das palavras
e nenhum lume irrompe para beberes

Autor : Al Berto

domingo, 18 de outubro de 2015

Parti todos os espelhos


Parti todos os espelhos que me perseguiam
E tenho estilhaços a magoar-me a alma
E a esventrar-me os sonhos que não vivi.

Autor: BeatriceMar

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

e

Saul Landell

e o menino
em seu sonho,
viu
um pássaro azul.

Fechou
os olhos e voou!

Autor : joanna.franko

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Podes ficar aqui?


Mariska Karto


Não vás embora,
precisarei de mais alguns minutos,
horas, dias, semanas, meses, anos,
eternidades para te esquecer…

Autor : Fernando Pinto do Amaral

domingo, 11 de outubro de 2015

sonhei

Josephine Cardin

sonhei contigo(ainda sonho),
estavas no cimo duma escarpa,
mas tinhas asas, e em voo brando
vieste ter comigo, e nesse momento, acordei!
.
BeatriceMar

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Pintura




Onde se diz espiga
leia-se narciso.
Ou leia-se jacinto.
Ou leia-se outra flor.
Que pode ser a mesma.

As flores
são formas
de que a pintura se serve
para disfarçar
a natureza. Por isso
é que
no perfil
duma flor
está também pintado
o seu perfume.

Autor : Albano Martins
in "Castália e Outros Poemas

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

As pequenas palavras

Barbara Cole

De todas as palavras escolhi água,
porque lágrima, chuva, porque mar
porque saliva, bátega, nascente
porque rio, porque sede, porque fonte.
De todas as palavras escolhi dar.
De todas as palavras escolhi flor
porque terra, papoila, cor, semente
porque rosa, recado, porque pele
porque pétala, pólen, porque vento.
De todas as palavras escolhi mel.
De todas as palavras escolhi voz
porque cantiga, riso, porque amor
porque partilha, boca, porque nós
porque segredo, água, mel e flor.
E porque poesia e porque adeus
de todas as palavras escolhi dor.

Autor : Rosa Lobato de Faria

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

O sorriso



Falta-me ainda construir o poema
que sem rodeios cantará
a festa de estar contigo.
Entretanto, exploro um tema,
sedento de palavras que não há
para dizer o que digo:
o infindável tema do sorriso
que te marca o olhar.
E de nada mais preciso
para continuar.

Autor : Torquato da Luz

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Pureza


Vem toda nua
ou, se o não consentir o teu pudor,
vestida de vermelho.

Teus tules brancos,
o azul, que desmaia,
de tuas sedas finas,
guarda-os p’ra outros dias.

P’ra quando, Amor!, teu ventre, já redondo,
merecer a pureza do azul...

Autor : Sebastião da Gama
in 'Cabo da Boa Esperança'

domingo, 4 de outubro de 2015

Rotinas


Não te espero mais.
Pensava que algo aconteceria
Mas a rotina é uma faca

E tudo é como sempre foi
Dia após dia
Só mudou a minha vontade.

Hoje vou colocar flores na jarra do hall
É coincidência serem iguais
Às que  não me chegaste a dar
.
Autor BeatriceMar